segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Entre armas e rosas - O que fazer em uma briga? Revidar ou calar?


Minha boca anseia por palavras as quais não posso falar. Ao menos todas não poderei falar.  Sonoramente não as direi, ao menos que seja intentado a falar-las. O mais coerente a ser feito é o silêncio. A ira nos faz desabrochar palavras que não diríamos a ninguém. As vezes sabemos muito e nada podemos falar. É Por isso que vou guardar todas as palavras que iria jogar ao vento.

Muitas vezes, no calor do momento, pensamos que o melhor a fazer é "jogar na cara" (falei) falar tudo que pensamos e que isso nos "lavará a alma". Isso na verdade não é nada bom tanto para nós como para quem irá escutar o que temos a falar. Salomão nos disse em Provérbios 13:3 "Quem guarda a sua boca guarda a sua vida, mas quem fala demais acaba se arruinando".

Falar de mais é burrice. Falar tudo que pensamos, ou que sabemos, é como se acionássemos uma bomba atômica. Não há nada tão devastador quanto uma bomba atômica, em segundos ela acaba com tudo, com construções, com vidas, ela arrasa tudo que vê pela frente. Assim é quando falamos tudo que pensamos, podemos acabar com um relacionamento, acabar com um vida, acabar com um sonho, com a construção de uma vida... Enfim, muita semelhança.

A vida nos ensina que nem tudo deve ser dito, nem tudo deve ser confrontado, nem todo problema tem solução, e, por isso, temos de saber dosar cada situação. Sem sabedoria para moderar vamos acabar matando muitas coisas.

Se somos ofendidos, se estamos magoados, se estamos traídos... o que fazer? Relevar a ofensa! Você deve neste momento ter pensado: "Relevar, parece fácil para que está de fora dizer isso. Quero ver você no meu lugar o que faria?" Eu como você tenho sentimento, me magôo, mas Jesus me ensinou: "Mas, se alguém te bater na face direita, oferece-lhe também a outra." Mateus 5:39

Em Provérbios Salomão nos aponta o amor como a solução para as contendas. Somente trazendo o amor à tona poderemos relevar a ofensa e, assim, preservar o outro e o vínculo que temos com o outro. Lembre-se que Deus é o amor!

O que eu tenho visto, todos os dias no trabalho, nas ruas, nas famílias é pessoas que esperam que o outro se (...) prejudique para que, assim, possam obter aquilo que o outro tem.  O prestígio, amizades, cargos profissionais, etc. E quando tal prejuízo não acontece naturalmente, então, não custa nada dar uma mãozinha ao acaso, pensam alguns... E daí surge tudo quanto é tipo de ofensa, maldade, falsidade, mentira, fofoca, e o pior de tudo, é que tais maldades, quase sempre, são feitas em nome da "justiça" e da "verdade". (...?) ("Conheceis a verdade e a verdade vos libertará" João 8-32)

Aqui não estou dizendo que temos de passar a mão na cabeça daqueles que nos ofendem, que devemos "engolir" a ofensa, que não podemos revidar ou que não devemos tirar satisfação com quem nos ofendeu. Pelo contrário, penso que devemos resolver aquilo que nos constrangeu ou nos prejudicou, porém, antes, temos de refletir se realmente vale à pena. Sim vale a pena. Sempre valerá a pena. Devemos entender que somos diferenciados, "Vós sois sal da terra, vós sois a luz do mundo" (Mateus 5-13:14). Devemos entender também que há pessoas, principalmente aquelas que não se importam em ferir os outros, que, infelizmente, por mais que sejam orientadas, advertidas e censuradas, nunca vão aprender o que quer que seja. Pessoas assim, infelizmente, têm como castigo a dolorida tarefa de conviver consigo mesmo, sem amigos, isolada, pois, quem em sã consciência vai estar com alguém intransigente?

Portanto, se você conhece e convive com alguém assim, seja sábio, não perca tempo com as sandices que ela irá te propor. Não se deixe permitir que os comportamentos negativos das pessoas mal intencionadas roubem a sua lisura, educação, prudência e tudo aquilo que há de bom em você. Viva sob a condução do amor. Amor a Deus, às pessoas e a si mesmo, pois, isto sim agrega valor e qualidade de vida à nossa vida. Deus é AMOR!

Lembre do que está em Provérbios 6:16-19 diz: "Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos."

Aborrecer quer dizer sentir horror àlguma coisa. Abominar é detestar. Examinemos estas sete coisas que aborrece à Deus.

Quando fala em olhos altivos quer dizer olhos elevados (o nariz empinado), arrogância e orgulho exacerbado, sejamos humildes. Deus sempre condena a arrogância dos homens, pois ela contraria a sabedoria divina. Sejamos contra a soberba e a arrogância dos homens assim como Jesus em seu tempo. A língua mentirosa Deus odeia a mentira. O mentiroso será castigado por Deus (Salmo 7:12-16). Muitos confiam na mentira, se achando capazes de enganar o mundo e até o próprio Deus. Quem é o pai da mentira?

Deus sempre detestou a violência dos homens. Na nossa sociedade, a violência descontrolada é lamentável. Segundo a palavra devemos agir pacificamente num mundo repleto de crueldade.Quando Deus falou de derramar sangue inocente, ele ajuntou a violência e a injustiça. Deus é perfeitamente justo, e qualquer injustiça é uma rejeição do caráter dele (Deuteronômio 32:4).

Para entender melhor a atitude de Deus sobre o "coração que trama projetos iníquos", leia Salmo 50:16-23. Este trecho mostra que até pessoas que dizem ser servos do Senhor e até as que ensinam a palavra de Deus podem ser culpadas desse pecado. Não adianta pregar a palavra de Deus e usar a mesma boca para difamar irmãos. Não deve condenar os ladrões e adúlteros com a boca enquanto participa dos mesmos pecados.

Pés que se apressam a correr para o mal. Deus criou o homem para servir a ele. Deus não pede meramente que não pratiquemos o mal, mas que o aborreçamos. Ele não quer apenas que façamos o bem, mas que o consideremos nosso melhor amigo. Que desafio!

Testemunha falsa que profere mentiras. Duas vezes nessa lista? De sete itens Deus inclui duas vezes a mentira. Podemos exagerar a gravidade desse pecado?

O que semeia contendas entre irmãos. Mais uma vez, encontramos nessa lista um pecado que envolve, principalmente, o uso errado da língua. Contendas são obras de maldizentes. "Sem lenha, o fogo se apaga; e, não havendo maldizente, cessa a contenda" (Provérbios 26:20). Há, infelizmente, pessoas neste mundo que se ocupam falando mal dos outros e semeando contendas. Deus detesta tal comportamento.

Contendas são fáceis a começar e difíceis a terminar. Como um pequeno buraco numa barragem facilmente sai do controle da pessoa que o fez, uma pequena contenda cresce de tal maneira que ninguém consegue freá-la. "Como o abrir-se da represa, assim é o começo da contenda; desiste, pois, antes que haja rixas" (Provérbios 17:14).

Conclusão: A melhor maneira de resolver uma briga é não começá-la.

Durante minha vida aprendi uma coisa importante: quando amamos uma pessoa, procuramos evitar as coisas que ela não gosta. Quando Deus diz que detesta essas sete coisas, está dizendo que as pessoas que o amam farão tudo para tirar todos esses pecados da própria vida. Que Deus nos ajude a viver livre destas coisas. Você em uma briga o que faria? Vamos semear o amor? Vamos evitar uma briga. Ao invés de armas, rosas. O que você acha? Antes de explodirmos a bomba atômica vamos semear o amor de Deus para que possa nascer flores e frutos nos corações contenciosos.

Paz e amor á todos. Tenham uma ótima semana e fiquem com o Senhor em seus dias!   

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário