sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A história sobre o Ministério Atletas de Cristo!


Há quase trinta anos, nossos atletas lutavam contra toda espécie de preconceito. A prática do esporte, especialmente em nível profissional, era vista como “pecado” por muitos membros de igreja e pela liderança, porque atrapalhava os trabalhos da igreja aos domingos, porque colocava o crente num ambiente desfavorável (e até promíscuo) onde o diabo pintava e bordava como senhor absoluto. Acreditavam que o crente nunca teria outra opção a não ser render-se as regras do jogo dentro e fora do campo.

Um dos fundadores de ADC tinha que jogar bola às escondidas para driblar a disciplina da mãe e o preconceito da igreja. Mais tarde, a imprensa o apelidou de “Artilheiro de Deus” (Baltazar) e ele teve oportunidade de levar muitos a Cristo através do esporte.

Tempos difíceis aqueles… Mas a oposição gerou gente passada pelo fogo e aprovada. Gente como João Leite, Baltazar e Alex Dias Ribeiro que deram uma base sólida para a arrancada inicial deste ministério. Hoje, graças ao fruto de vários atletas e seus testemunhos de vida cristã, o esporte já não é mais um tabu para a maioria dos cristãos.

O movimento foi crescendo e já somos milhares de atletas de várias modalidades esportivas espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Eles se reúnem nos chamados Grupos Locais, liderados por trabalho voluntário. Temos uma sede nacional para coordenar tudo isso e ainda mantemos, entre outros projetos, um time de futebol totalmente missionário.

Além disso, muita coisa mudou. A maioria das igrejas passou a aceitar que um cristão pode ser também um atleta.

Hoje são milhares de atletas cadastrados sem contar aqueles que “jogam” no mesmo time, porém não pertencem a organização.

Legalmente, hoje somos uma associação sem fins lucrativos que sobrevive através de doações de mantenedores, pessoas que acreditam em nosso trabalho, eventos esportivos e venda de produtos com a marca Atletas de Cristo.


Fonte : http://www.atletasdecristo.org/site/?page_id=70

Nenhum comentário:

Postar um comentário